O MEU LIVRO





A mulher ilustrada

Photobucket


Do lado Esquerdo 01
A mulher ilustrada
de Maria Sousa
150 exemplares, 50pp.

Até à apresentação, os livros só serão vendidos online, se o quiserem comprar basta enviarem um mail para: editoradoladoesquerdo@gmail.com 
ou mandarem uma mensagem para a nossa página do facebook.
https://www.facebook.com/DoLadoEsquerdo

Responderemos com as instruções necessárias para o envio do livro.

26 comentários:

don medina disse...

Parabéns Lebre!

http://www.youtube.com/watch?v=ZpKcqraRdfs

Táxi Pluvioso disse...

Digo o mesmo.

Allons les gars, gai, gai,
Allons les gars gaiement

http://www.youtube.com/watch?v=fOuoTAgyz6U

don medina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
don medina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Táxi Pluvioso disse...

E pior, tem Godard, não há como ele para filmar as relações entre pessoas, é um gorro que me ficou do tempo em que era intelectual que tento lavar com muito Michael Bay.

Como a violência em Viana deve ser pior do que na Síria aqui te deixo um vídeo para que aprendas a defender-te comme il faut:

http://www.liveleak.com/view?i=b7a_1358337537

don medina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
don medina disse...

- Quem é inteligente? - quis saber o juiz de direito abancando-se na cadeira deixada por Clóvis.

- Falávamos de Eça de Queiroz, Ilustríssimo - respondeu João Fulgêncio apertando a mão do magistrado.

- Um autor muito instrutivo... - para o juiz todos os autores eram muito instrutivos. Comprava livros às bateladas, misturando jurisprudência e literatura, ciência e espiritismo. Segundo diziam, comprava para enfeitar a estante, impor-se na cidade, não lia nenhum deles. João Fulgêncio costumava perguntar-lhe:

- Então, Digníssimo, gostou de Anatole France?

- Um autor muito instrutivo... - respondia imperturbável o juiz.

- Não o achou um tanto quanto irreverente?

- Irreverente? Sim, um tanto quanto. Porém muito instrutivo...



E para relembrares os tempos em que eras um intelectual Táxi, eis um filme falado em francês:


http://www.youtube.com/watch?v=ilgLTdOI79s

don medina disse...

Intervalo para publicidade:

http://www.youtube.com/watch?v=S7xV8DRJF8E

don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...

Táxi,

Cheers: http://corta-fitas.blogs.sapo.pt/5230520.html

don medina disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...

"In 30 seconds, you'll be dead. Then I'll blow this place up and be home in time for corn flakes."

Vilos Cohaagen (Ronny Cox) to Douglas Quaid (Arnold Schwarzenegger) in Total Recall (1990)

don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
Táxi Pluvioso disse...

Piranha, mais uma prova de que tudo começa com uma garrafa de cerveja, até a vida, no Bairro Alto, Alfama, 24 de julho, cais do Sodré, é com ela que as moças descem o contracetivo natural: as cuecas.

Os japoneses são agressivos nas vendas, parece que nos vão harikirizar se não comprarmos. Zeroids só podem ser os nossos ministros das Finanças, são tão elogiados pelos estrangeiros: Salazar era um dos melhores, Teixeira dos Santos, Gaspar, só nos tocou melhores, segundo a Europa.

Já não via um intelectual francês há séculos, caixa de óculos e tudo, e a falar de cinéma, desde que li o Christian Metz, a psicanálise freudiana sentado na sala de cinema, que fiquei vacinado / curado.

As massas fogem da revolução como o queijo foge dos ratos.

Che Guevara agora reclama a alma de Hugo Chávez para junto de si.

30 segundos dava para muita coisa, dava até para ir a Marte, 30 seconds to Mars.

Ah! os velhos Weathermen, lutar dentro da barriga da besta e não ser digerido pelo ácido gástrico ou acabar numa canção do Dylan. Este filme mete Antonioni, Zabriskie Point, num saco, tenho que ver o resto dos filmes amanhã tenho o antivírus a fazer o seu scan e o browser fica meio entupido.
Vistes as camaradas que meti no post? a Camila Vallejo, só ela a falar faz crer na revolução, ou a camarada Alexandra (não sei se ainda está viva ou levou com um drone). bfds

don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
don medina disse...
Este comentário foi removido por um administrador do blogue.
a sul de nenhum norte disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
lebredoarrozal disse...

sr don medina, faça o favor de me enviar um mail :P

isto de fazer posts nos comentários....

Táxi Pluvioso disse...

Don Medina ainda acaba na mata (se houver) do monte de Santa Luzia a combater pela integração na Galiza. Quem sabe se não será mais uma moda nética: fazer posts nos comentários.

A camarada Vallejo, só de ouvi-la acredita-se na revolução, aquele espanhol, diferente do falado em Castela, dá-lhe outra ponderação, apesar de eles no Chile viverem no século XX, querer ensino de borla? será que não ouviram falar em empreendedores? em privados (subsidiados pelo Estado)? Mas nisto há uma questão ontológica: será que a Odete Santos era assim quando jovem combatente?

Não há dúvida de que Daniel Oliveira é uma pinup da malta esquerdalhada, como Porta o é para a malta endireitada, a pinup é a metanfetamina do povo.
A luta do povo.

http://www.youtube.com/watch?v=I3xS8h27zz0

Estas guerrilheiras colombianas ficam muito bem de Kalashnikov, já tinha lido que a maioria dos homens tinham sido bombardeados e que as mulheres estava a assumir, cada vez mais, patentes de chefia.

O mundo ainda não acabou, tem esperança nos chineses:

http://www.youtube.com/watch?v=u6XMAIOvJgQ

E para que estejas sempre na moda steampunk:

http://style.time.com/2013/01/17/will-steampunk-really-be-the-next-big-fashion-trend/?hpt=hp_c3

Táxi Pluvioso disse...

Chatice, isto fica sempre com gralhas, claro, é o plural em porta e estava e não o singular.

E, para manter o nível intelectual, o filme:

http://www.youtube.com/watch?v=BDmXPTvvyR8