Cenas 3-7

O vizinho, Peripléctomeno, está preocupadíssimo por um escravo qualquer de Pirgopolinices ter avistado do telhado da casa Filocomásio e o seu amante aos beijos, quando procurava um macaco que se escapara. Com a ajuda de Palestrião, este castiga os seus escravos por não terem apanhado o escravo. De seguida, os dois arquitectam um plano para enganar o escravo do soldado, de modo a que ele acredite que quem andava aos beijos com outro era a irmã gémea de Filocomásio, recentemente chegada de Atenas com o seu namorado. Naquela altura aparece o próprio escravo, Céledro. Palestrião, Filocomásio e Periplectómeno confundem de tal maneira Céledro, que este acaba por ficar desesperado e foge.

O Soldado Fanfarrão

4 comments:

Il castello del sogno said...

Tenho de fazer um esforço inimaginável para perceber estas merdas, é por isso que me custa ver telenovelas, Heidegger é mais simples.

Táxi Pluvioso said...

Mas Heidegger não conseguiu nomes de personagens tão engraçados para as suas peças: ser aí, ser com, advir, intratemporalidade, reiteração... não são nomes para andarem aos beijos.

Il castello del sogno said...

O Heidegger não, mas o cardeal Berkeley, por exemplo, tinha personagens catitas: o Hylas e o Philonous...e o Galileu tinha o Salviatus e o Simplicius...

Um tratado filosófico tuga podia ter personagens como o Piças e o Relvas...

Il castello del sogno said...

Por falar em telenovelas, dizem que a "Avenida Brasil" é muito boa, mas só vi uns bocados porque o meu receptor digital terrestre avariou.